MANDALA: O QUE É, SUA ORIGEM E USOS

A mandala é uma forma que causa fascinação em muitas pessoas, sendo muito utilizada como elemento decorativo para o ambiente, em peças de roupas ou até mesmo em tatuagens. 

De fato, essa arte milenar, que continua viva até os dias de hoje, tem muitos benefícios para o corpo e para a mente. Isso se comprova de tal forma, que as mandalas são também muito utilizadas em livros para colorir voltados para o público adulto, exercício que tem se popularizado muito nos últimos tempos.

Dessa forma, para conhecer todas as propriedades da mandala, suas diferenças e descobrir as origens desse desenho milenar, não deixe de continuar lendo esse artigo!

O que é uma mandala?

Mandala é uma palavra do idioma sânscrito e significa círculo. Apesar de ser considerada uma língua morta, o sânscrito é considerado um dos 23 idiomas oficiais da Índia, principalmente devido a sua importância para o hinduísmo e budismo.

Em linhas gerais, mandalas são desenhos de formas geométricas concêntricas, ou seja, que se desenvolvem a partir de um mesmo centro. Esses desenhos são conhecidos como yantras, uma palavra derivada dos idiomas falados na península indostânica que significa instrumento. 

Dessa forma, pode-se dizer que as mandalas são um meio para se chegar a um certo objetivo, este que muda de acordo com a cultura em questão. Na maioria delas, esses desenhos servem como uma importante maneira de concentração para a meditação. As formas podem ser criadas com diversos materiais, mas costumam ser sempre extremamente coloridas.

Uma outra maneira de ver a mandala é através da interpretação advinda da cultura taoista. Nela, a mandala sugere o equilíbrio, que deve se fazer presente na vida em todos os sentidos. Os próprios Yin e Yang, a base da cultura taoista e que são responsáveis por demonstrar a dualidade de tudo o que existe no universo, são representados por uma mandala. 

A origem da mandala

Vários estudos datam o surgimento das primeiras mandalas a partir do século VIII, na Índia. Logo após essa época, também foram vistas na China e no Japão. 

No continente asiático, mais precisamente no Tibete, esse tipo de desenho era muito difundido, sendo usado principalmente pelos monges do Budismo. Com o tempo, as mandalas também passaram a ser vistas no hinduísmo e no taoísmo.

Por outro lado, no continente americano, também é possível encontrar indícios do uso desses símbolos. Eles eram usados nos cultos religiosos, sempre relacionados à cura, sendo vistas nas igrejas católicas, entre os séculos XVI e XVIII, enfeitando os seus vitrais e paredes. 

Tipos de mandala

A mandala é um tipo de desenho. Dessa forma, elas podem ser feitas de inúmeras formas e com o uso de vários tipos de materiais distintos. São eles:

Areia

A técnica para a produção de mandalas de areias foi estudada por monges através de anos. A preparação para o processo é feita através da meditação e o trabalho geralmente demora horas para ficar pronto. Ao final, tudo é jogado no rio ou em outra fonte de água corrente.

A ideia buscada por eles é representar a brevidade de todos os aspectos da vida, enfatizando que tudo irá acabar uma hora. Apesar disso, elas também representam o recomeço, já que sempre é possível criar um novo desenho de areia.

Madeira

Um outro exemplo da tradição budista são as mandalas feitas com materiais como madeira. Aqui elas podem ganhar formatos tridimensionais e são geralmente usadas como uma representação da morada de alguma divindade.

Elas também são muito usadas como presentes. Esse presente é regado por diversas tradições e rituais, que significam boa vontade. Assim, é algo muito bom na cultura budista receber uma mandala como presente de alguém.

Tinta

Na tradição hinduísta é bastante comum encontrar mandalas pintadas em diversos templos e outros locais sagrados. Nessas técnicas são utilizadas cores vivas, que costumam representar os diversos chakras do corpo humano.

Os chakras agem como centros de energia, que ficam espalhados pelo corpo humano. Dessa forma, o colorido das cores usadas nos desenhos seria uma maneira de realinhar esses chakras e permitir uma melhor circulação da energia, o que promove uma melhora tanto no sentido espiritual como físico da vida.

Cristais

Os cristais são estruturas organizadas que difundem e potencializam a luz. Por isso, eles interagem com a geometria sagrada do Universo e tem compostos químicos semelhantes ao ser humano, sendo ideais para nossa cura interna e de nossos ambientes, restabelecendo o equilíbrio em diversos setores da nossa vida. 

Uma das formas mais comuns do uso dos cristais é por meio das mandalas de cristais, que se popularizaram atualmente e também são conhecidas como Grades de Cristal.

As mandalas cristalinas podem ser criadas para diversas finalidades, como proteção, amor, cura e prosperidade. As principais formas utilizadas como bases iniciais para a produção dessas mandalas são o Hexagrama ou Flor da Vida.

Para o processo, é preciso separar os cristais de acordo com a sua intenção, limpá-los e energizá-los. Então, é importante posicioná-los da forma preferida, sempre buscando alinhar uns com os outros. 

A partir daí, basta usar a sua mão dominante para apontar e ativar mentalmente a mandala,  expressando toda sua intenção.

Alguns exemplos de cristais que podem ser utilizados são: 

  • Quartzo Verde, Quartzo Branco e Malaquita – para buscar saúde;
  • Ônix, Turmalina Negra e Hematita – se a intenção é proteção;
  • Magnetita, Granada e Jaspe Vermelho – se você busca paixão e atração.

Você pode também utilizar esses cristais de diversas outras formas, como no formato de pingentes e de brincos. Um exemplo é esse lindo pingente de quartzo verde, disponível no site da Zurc.

Cores das mandalas

Além do seu formato, as cores da mandala também possuem grande influência nesse sentido. De acordo com estudos, a cor pode influenciar na energia do ambiente, o que pode mudar a percepção da emoção dos indivíduos .

São as propriedades de cada cor de mandala:

  • Rosa: protege o trabalho e favorece o amor, fortalecendo os relacionamentos pessoais. 
  • Laranja: é a cor responsável por melhorar o ânimo. Representa a coragem e o recomeço.
  • Vermelho: representa a coragem e energia. Afasta sentimentos de depressão.
  • Preto: remete ao autoconhecimento e deixa o ambiente mais formal.
  • Violeta: representa espiritualidade e reflexão. Deixa o ambiente limpo de coisas negativas.
  • Azul: remete à fidelidade, além de trazer calma e equilíbrio interior. Uma boa cor para quem sofre com insônia. 
  • Dourado: traz a energia solar que ilumina os caminhos. Atrai dinheiro e sucesso profissional.
  • Marrom: desperta para a caridade e humildade.
  • Amarelo: estimula a concentração. Também representa o intelecto e a razão.
  • Prata: traz a energia lunar, que faz a ligação com o mundo espiritual e o inconsciente. 
  • Branco: paz e equilíbrio interior. Simboliza a pureza e a inocência. 
  • Verde: esperança, crescimento pessoal e neutralização do ciúme. Está ligado à cura e acalma o ambiente.

Benefícios da mandala

A mandala tem seus benefícios advindos de duas características principais: a sua capacidade de trazer harmonia e concentração e a capacidade de estimulação mental trazida pelo processo de confecção da mandala.

São os principais benefícios:

  • Ajudam no equilíbrio;
  • Traz paz e tranquilidade;
  • Provocam uma sensação de calma;
  • Ajudam na concentração;
  • Facilita a atenção;
  • Auxilia a deixar de lado os pensamentos desnecessários;
  • Provocam a fluidez da criatividade.

Justamente por esses benefícios, a mandala tem sido muito utilizada dentro de terapias da psicologia. Ela proporciona a canalização da atenção e a ativação da criatividade, possuindo um ótimo efeito terapêutico em portadores de déficit de atenção, depressão e ansiedade.

A pintura ajuda ainda idosos e qualquer um que procura um novo hobby, despertando habilidades artísticas, desenvolvendo habilidades manuais e levando ao aperfeiçoamento de suas técnicas.

Criando a sua própria mandala

A confecção de mandalas é um exercício livre, que pode ser feito por qualquer pessoa. Esse exercício é uma experiência relaxante e meditativa, e necessita de pouquíssimos materiais: papel, um instrumento para desenhar círculos (como um compasso) régua, lápis, marcadores e canetas coloridas. 

Para aprender a desenhar uma mandala, siga esse passo a passo:

  1. A lápis, faça um pequeno círculo usando o compasso, aproximadamente no centro do papel.
  2. Usando o mesmo ponto central, desenhe círculos consecutivamente maiores ao redor do primeiro. Não faz diferença se os círculos estão igualmente distantes ou se as distâncias variam.
  3. Depois de desenhar alguns círculos, criando uma forma de alvo no papel, desenhe uma linha vertical no meio dos círculos.
  4. Agora desenhe uma linha horizontal no meio, como se fosse uma “pizza”.
  5. Divida os triângulos em outras partes novamente. Você pode fazer quantas quiser, desde que cada uma seja do mesmo tamanho da outra.
  6. Em seguida, começando pelo centro, desenhe a forma que quiser dentro do primeiro triângulo. Repita essa mesma forma no próximo triângulo e assim por diante, girando sua página à medida que avança até que todos os triângulos sejam desenhados.
  7. Continue trabalhando para o exterior usando os círculos e linhas como marcadores. Isso ajuda a manter a simetria em sua mandala.

Se você deseja, porém, apenas realizar a parte de colorir a mandala, também existem inúmeros desenhos disponíveis e prontos para colorir. Separamos aqui alguns desenhos que podem ser utilizados por você!

(Fotos: Reprodução | Imagens Png)

E se você quer saber mais sobre inúmeros artefatos e itens que podem ser utilizados por você para trazer mais harmonia e balancear o seu dia a dia, então não deixe de conferir os posts do blog e os produtos da Zurc! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *